Archive for the ‘Jornais, Rádios e TV’ Category

h1

Comunicação, Jornalismo e C&T – Setembro 2008

21 Outubro 2008

Sugestões de Leitura
Comunicação, Jornalismo e C&T

Setembro de 2008
  • Survey backs ‘intermediaries’ in science communication
    An international survey of more than 600 individuals engaged in integrating science into development policy has endorsed the role of “intermediary” organisations in enhancing communication between the scientific and policymaking communities.
  • Nuevo libro sobre periodismo científico en América Latina
    Se encuentra disponible el libro que compila las Memorias de las “Jornadas Iberoaméricanas sobre la Ciencia en los medios masivos: Los desafíos y la evaluación del periodismo científico en Iberoamérica”, realizadas en Santa Cruz de la Sierra (Bolivia), entre el 30 de Julio y el 3 de Agosto de 2007.
  • Regional journals can boost science capacity
    Regional journals are essential for building science capacity in the developing world, says Wieland Gevers. Building significant and sustainable science capacity in developing countries is an agenda that enjoys wide support. But how best to achieve it is still open to debate.
  • Lawmakers need good scientific information too
    Getting science into policymaking is challenging — but a recent workshop for African parliamentary researchers suggested new ways forward. Fidel Ayogu, a former member of the Nigerian Parliament, vividly remembers the day that money allocated by the government to build a new water supply to his constituency ran out — with the only half the work completed. The reason, he says, was simple.
h1

O jornalismo pode esconder os factos científicos

23 Janeiro 2008

 

How journalism can hide the truth about science

 

O processo científico é de longe menos linear do que a imagem que os media sugerem com a sucessão de descobertas que divulgam. Mas, uma simples reportagem pode distorcer os factos.

O retrato que os media fazem da ciência como sendo objectiva e auto-regulada é uma narrativa de arrogância, perpetuando a perspectiva de que a ciência é um processo de passos e descobertas lineares , não dando a noção das tentativas-erro que ocorrem pelo caminho.

O foco exclusivo para os produtos da ciência (a descoberta, a sua utilização e as suas implicações para a humanidade) cria expectativas irrealistas de que a ciência consegue sempre atingir os seus objectivos e quando são conhecidos publicamente os erros cometidos existe uma elevada quebra de confiança.

Contudo, existe forma de apresentar a ciência: com uma postura de humildade, dando ênfase ao facto de o conhecimento cientifico ser produzido através de processos continuados e aos caminhos errados muitas vezes percorridos que vão dar a becos sem saída. É por isso que é importante publicar os resultados negativos.

Se o jornalismo abordar a ciência desta forma, focará os processos, os métodos e as pessoas que envolvidas na construção do conhecimento. Se os redactores de ciência abordarem os temas de forma crítica e se tiverem um olhar mais profundo sob os processos e as pessoas envolvidas.A verdade é que a maior parte desses processos são muito aborrecidos e o público obviamente não se interessa, mas isso não implica que os jornalistas não compreendam esses processos para divulgarem as suas histórias da forma mais fiel aos factos e que incluam os resultados negativos.

Holger Wormer, professor de jornalismo de Ciência da Universidade de Dortmund na Alemanha, estima que apenas uma em cinquenta descobertas científicas noticiadas é realmente uma descoberta.

 

A ler o artigo completo no SciDev

h1

Histórias de Ciência 2007 – TOP 25

19 Janeiro 2008

 

 

 

Top 25 Science Stories of 2007

 

 

h1

Ainda a Comunicação da Biotecnologia

2 Novembro 2007

 

Precisa a Biotecnologia de ser popularizada?

Continuando ainda no assunto do post anterior,
recomenda-se a leitura do texto de Filipa Ribeiro no Edit on Web
com referências a autores de textos
do número especial Talking Biotec
do Biotechnology Journal

 

h1

Revista – Conversando Biotecnologia

31 Outubro 2007

Revista – Talking Biotech

A palavra Biotecnologia provoca uma série de emoções, desde o deslumbramento até ao medo e à hostilidade. As pessoas compreendem facilmente a utilidade das biotecnologias aplicadas à saúde, muito próximas de cada um de nós. A percepção da sua importância parece ser imediata. Já com os mesmos tipos de tecnologias aplicadas na agricultura e na alimentação não se passa o mesmo. Mas, por exemplo, muitos dos queijos e iogurtes saborosos de que usufruimos hoje dependem das tecnologias biológicas.

Não faltam mitos disseminados por aí sem qualquer tipo de pudor por pessoas com responsabilidades públicas. Existe um enorme desconhecimento e o debate racional não tem muitas vezes lugar. Como qualquer tecnologia, a biotecnologia pode ser aplicada com boas ou más intenções. Existem riscos e benefícios que devem ser tidos em consideração quando se opta pela sua utilização. O desconhecimento do público – de todos os públicos – é generalizado e as consequências podem originar o não aproveitamento de vantagens para as pessoas e para o ambiente.

O Biotechnology Journal lançou um número intitulado “Conversando Biotecnologia” que tem diversos artigos disponíveis gratuitamente e que foca temas como a comunicação da biotecnologia e as dificuldades de comunicar com o público sobre a tecnologia de engenharia genética, mais conhecida pelo grande público pela produção de organismos geneticamente modificados. São também abordadas questões de bioética e de propriedade intelectual, entre outras.

h1

Salvação do Jornalismo Científico pelos Blogs?

20 Outubro 2007

 

 

 

Can science blogs save science journalism?

Um painel de jornalistas e cientistas discutiram os desafios dos media
face ao jornalismo de ciência.
Que soluções podem nascer a partir das comunidades de ciência on-line?

 

 

 

 

h1

Canal bq nº4 – Avaliação de Ciência

8 Outubro 2007

 

Revista Canal bq Nº4
Avaliação de Ciência

h1

Conferência Mundial de Jornalistas de Ciência

8 Setembro 2007

A 5ª Conferência Mundial de Jornalistas de Ciência terminou,
mas a documentação de todas as sessões ficou on-line.

h1

19 e 20 Nov – Minho – Comunicar as Alterações Climáticas

7 Setembro 2007

A Universidade de Minho vai receber a conferência internacional “Communicating Climate Change: Discourses, Mediations and Perceptions“, em 19 e 20 de novembro de 2007.

This project aims to understand the relation between the discourses of various social actors on climate change, their representation in the media and citizens perception of the issue.

h1

Dificuldade e relavância do Jornalismo Científico num mundo de extremos

3 Agosto 2007

press-seed.jpg

A relevância do trabalho dos jornalistas de ciência e tecnologia nos países em desenvolvimento foi bem explícita durante o Congresso Mundial de Jornalistas de Ciência, realizado em Melbourne, na Austrália. Apesar das dificuldades sentidas pelos profissionais que se dedicam a questões como a sida, as alterações climáticas, o acesso a medicamentos, ou a biotecnologia aplicada à agricultura, o seu trabalho tem uma importância cada vez maior na cena política internacional.

Chris Mooney escreveu um artigo na Seed – Extremophile Journalism – que chama a atenção para as dificuldades da logística mais básica do trabalho jornalístico em África, ou na Ásia, e o seu papel fundamental no confronto com os governos corruptos e déspotas.

Uma das situações relatadas é o investimento [escandaloso] desses governos em mega-projectos carismáticos, como programas espaciais e nucleares, não dando prioridade à investigação para a saúde que tem o maior interesse para a população em geral.

Mooney diz que saiu do Congresso com a sensação profunda de que as políticas e as questões científicas são cada vez mais importantes no mundo actual. Frizou a necessidade de investir para ajudar os jornalistas a realizarem o seu trabalho nesses países. Mas não só. Não vale a pena investir na formação desses profissionais se a mentalidade dos editores e dos proprietários dos media não mudar.

Mais informações
Congresso Mundial de Jornalistas de Ciência

h1

Divulgação Científica nos Simpsons

2 Agosto 2007

 

 

Lançado o “The Simpsons“, a última Nature publicou uma entrevista com o produtor do filme Al Jean: Science in comedy: Mmm… pi

A equipa editorial da Nature aproveitou para seleccionar os 10 momentos científicos mais importantes da série.

 

 

h1

Workshop – TV e Comunicação de Ciência

30 Julho 2007

De 8 a 10 Novembro próximo, em Estrasburgo – França, será preparada uma nova agenda para a Comunicação de Ciência na TV durante um workshop organizado pelo pelo projecto europeu Earthwake. O objectivo é usar o apelo da popularidade da TV europeia para criar um novo envolvimento e interesse do público pela ciência.

Via Cordis

h1

A&C – Células como galáxias distantes com proteínas dançantes

20 Julho 2007

Versão com música

Versão com explicação

Alunos de Harvard criaram esta maravilha da tecnologia.

A vida de glóbulos brancos é explorada numa animação de qualidade e criatividade extraordinárias. Imagine-se milhões de células a funcionarem assim, em simultâneo, dentro de cada ser humano.

O filme mostra alguns dos mecanismos de células do sistema imunitário, a forma como sentem e respondem a estímulos externos. As estruturas parecem galáxias distantes. As proteínas parecem dançar ballet aquático.

Contudo, qualquer pessoa poderia supor que hoje tudo se sabe sobre os mecanismos celulares, o que não é de todo a realidade. A ler o comentário do Dean’s World.

A animação mostra o que os cientistas “imaginam” serem as células. Ninguém alguma vez viu as estruturas desta forma. Tudo se basea em evidências científicas e criatividade. A ciência e a arte no seu melhor.

h1

Workshop Comunicar Ciência IV – Coimbra

17 Julho 2007

De 19 a 22 de Setembro de 2007 vai realizar-se no Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNC), em Coimbra, o quarto Workshop Comunicar Ciência. Este workshop é dirigido a cientistas portugueses de todas as áreas de investigação e tem como objectivo principal melhorar a comunicação entre os investigadores científicos portugueses, os meios de comunicação e o público.

Dezasseis cientistas portugueses participarão em três dias e meio de actividades abrangendo as várias vertentes da comunicação de Ciência para audiências não técnicas. Em suma, aprenderão a escrever comunicados de imprensa e notícias científicas, como preparar/agir durante uma entrevista e como comunicar e organizar actividades para/com vários públicos. Analisarão também várias formas de comunicar situações de risco em ciência.

As inscrições estão abertas até dia 3 de Setembro e podem ser feitas através do envio de um CV e curta carta de motivação para info@comunicar-ciencia.org

 

Mais informações em www.comunicar-ciencia.org

 

h1

Prémios – Jornalismo Científico 2006

11 Julho 2007

O programa de rádio da TSF de José Milheiro Selecção de Esperanças, elaborado em estreita colaboração com a Associação Viver a Ciência (VaC), arrecadou o Prémio “Jornalismo Científico 2006”, que distingue os trabalhos que mais se destacam na divulgação jornalística do trabalho científico. Uma das duas menções honrosas foi para o programa televisivo Geração Cientista, conduzido por Cármen Inácio e emitido na RTP2. Ambos os trabalhos tiveram inspiração numa criação da VaC – o caderno Profissão Cientista – Retratos de uma Geração em Trânsito, que divulga o percurso de 14 jovens cientistas portugueses.

A segunda menção foi para Teresa Florença, com a reportagem “À Descoberta dos Nanomateriais”, publicada no Diário de Notícias do Funchal.

O galardão Jornalismo Científico 2006 é atribuído pela Fundação Ilídio Pinho através de um prémio pecuniário no valor de 50 mil euros. As menções honrosas têm o valor de cinco mil euros cada.

Fonte: Associação Viver a Ciência