h1

Outra vez o (não) uso da bicicleta…

26 Julho 2007

biclas.jpg

Há quase dois anos, escrevi um dos primeiros posts sobre a utilização de bicicletas na capital – Em vez de pedalar, a bicicleta à mão levar… – e as situações ridículas que algumas mentes mesquinhas impõem.

Hoje comento outra vez o mesmo assunto, incentivada pela notícia Portugueses entre os europeus que menos andam de bicicleta, que explica que o Português não usa a bicla. Os poucos que utilizam as duas rodas para as “actividades diárias” fazem parte de um mísero 1,1%, diz o Eurobarómetro.

Humm…Tantos que somos!

Motivos para justificar a não utilização das bicicletas não faltam:

  1. Os Portugueses são tão preguiçosos.
  2. Os condutores das viaturas de quatro rodas insistem em desrespeitar os ciclistas. Até a PSP desrespeita os sinais de trânsito!
    Sabem, aqueles sinais que ficam verdes para os peões e para os ciclistas, mas que estão laranja para os veículos motorizados? Há uns desses na Rotunda do Marquês, em Oeiras… Não sei se vos diga se vos conte… O desrespeito do sinalinho é lindo! Até a polícia…
  3. E as viaturas estacionadas em cima das passadeiras e das ciclovias?
    Em Oeiras, nem há imensas pessoas com cadeiras de rodas eléctricas, nem nada.
    Para quê respeitar os utilizadores das ciclovias? São locais mesmo convenientes para estacionar o carrinho…
    O que faz a PSP? Passa a vida junto ao centro de saúde na caça à multa, por excesso de velocidade, na Avenida da República.
  4. Como conduzir uma bicicleta em segurança se continua a haver falta de ciclovias por essas cidades?
  5. Como estacionar em segurança se não há parqueamentos apropriados?

 

Se pensa como a maioria das pessoas é porque nunca experimentou as alegrias de conduzir uma bicla de 21 mudanças. Se também pensa que usar as duas rodas significa chegar ao emprego emanando desagradáveis odores é porque nunca experimentou pedalar calmamente num percurso curto, com subidas pouco acentuadas.

Não resisto a contar que trabalham centenas de pessoas dentro dos muros da Estação Agronómica Nacional (EAN) e que se todos se lembrassem de levar as bicicletas não sei onde as estacionaríamos. Assim a EAN está recheadinha de automóveis e muita gente mora a menos de 2 ou 3 km dali…

Mas há uns “tont@s” que se lembram de ir a pedalar. Estacionam junto às canalizações externas do Instituto de Tecnologia Química e Biológica para poderem utilizar os cadeados. Só há 4 ou 5 canos. Se mais dois ou três se lembram da mesma graça, não sei o que faremos…

Rita, uma das “tontas”

 

P.S. Já pensou em ir para a praia de bicicleta? Não? Tem medo dos carros? Enquanto não disponibilizam ciclovias, faça como eu. Ao fim do dia, quando já não abundam os transeuntes, vá pelo passeio. Se encontrar peões, pare, olhe o pôr-do-sol e prossiga, sorrindo.
: -)

3 comentários

  1. Concordo em gênero, número e grau!!!

    Sem contar que a bicla é um meio de transporte ecologicamente correto, além de proporcionar uma integração maior com a paisagem nos tira do sedentarismo. E viva as biclas!!!

    ass. Patrícia (uma das “tontas”) muito feliz com a minha preciosa bicla que se chama MARIPOSA!!!


  2. Concordo a 100% contigo.

    Quando estava num grupo de Investigação no IST ia de Bicla, e tal como tu “atávamos” a bicicleta a uns canos que para lá havia. Começamos a ser tantos que a casa decidiu colocar uns “estacionamentos” especiais para nós.
    Ou seja, se não nos deixarmos vencer pelas adversidades conseguimos mudanças.

    Um abraço
    David


  3. Sim. Sim. Sim.

    Tonta convicta



Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: