h1

Em vez de pedalar, a bicicleta à mão levar…

28 Setembro 2005

 

 

Numa reunião da semana passada, na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, um dos participantes apareceu, trazendo na mão um capacete de ciclista…Quem não conhece o Hospital de Santa Maria estranhará, ou talvez não, que a descrição do recinto seja o caos. O cenário é desolador. Todos os dias se assiste à invasão de automóveis pelas ruas do recinto, passeios, espaços de terra entre as árvores e pequenos jardins. Isto já não é uma surpresa. Naquele dia, surpreendente foi imaginar o Pedro a pedalar em Lisboa à hora de ponta.

Não sei como há quem tenha coragem para se meter à estrada de bicicleta, em plena capital. Primeiro porque não é por acaso que lhe chamam a “cidade das sete colinas”. Segundo porque a quantidade de carros nas ruas e avenidas pode ser elevada, já para não falar da “típica” falta de respeito entre os utilizadores da via pública.

Ir do Chiado à Cidade Universitária e voltar, entre subidas e descidas, no meio do trânsito por vezes desgovernado, em que não faltam loucos e indivíduos que fazem uma “festa” com a buzina, não é para todos. Não é mesmo! O Pedro insiste no uso do seu veículo ecológico. É barato, não polui nem faz barulho, estaciona-se facilmente, não provoca intermináveis filas de trânsito e para além disso faz muito bem às pernas.

Apesar do perigo diário sempre à espreita, não hesita em movimentar-se na bicicleta, que leva para todo o lado. Ainda lhe perguntei se tinha utilizado o Metro, mas a resposta foi um “Não” convicto. Explicou as virtudes da sua utilização e que tinha demorado apenas 20 minutos a percorrer o trajecto. Mas vinha chateado. Para além das habituais buzinadelas, ao chegar ao portão do Hospital foi avisado pelos seguranças que só poderia levar o veículo se fosse a pé!

As ruas entre os edifícios são alcatroadas e por lá passam centenas de carros por dia. Contudo, não é autorizado o rodar silencioso de veículos sem motor, movimentados apenas pelo pedalar saudável dos seus condutores.

Tudo isto aconteceu no dia 23 de Setembro de 2005, um dia depois de terminadas as comemorações da Semana Europeia da Mobilidade e do Dia Europeu sem Carros. Está visto que a prioridade continuará a ser dada aos veículos motorizados, mesmo em locais onde a sua passagem deveria ser extremamente limitada.

E assim em vez de pedalar, a bicicleta à mão levar… Até quando?

 

Texto e fotografia – Rita Caré

28 Set 2005

——————————————————————————————————
Mais informações nos sites:

    5 comentários

    1. incrivel, simplesmente incrivel é o que tenho a dizer. os portugueses merecem o país que têm. cada vez mais me convenço disso. ciclovias? o que é isso?


    2. É de louvar a iniciativa de pedalar em Lisboa, mesmo correndo o risco de ser atropelado… Vivendo em Aveiro há 6 anos, tenho a dizer q esta cidade é um exemplo a seguir, incentivando o uso de bicicletas como meio de transporte. As ciclovias existem, o aluguer gratuito das bugas e o respeito na estrada por parte automobilistas também (exceptuando qd resolvem estacionar na via das bicicletas…).
      Para quando o mesmo em Lisboa????


    3. Sugiro uma visita ao blog Ambientalistas da Amadora

      http://ambientalistasdaamadora.blogspot.com/


    4. Concordo que de facto há uma série de obstáculos na maioria das nossas cidades que fazem com que a bicicleta não seja mais utilizada e um deles é o exemplo referido (já me aconteceu em inúmeras situações onde me impediram prosseguir o caminho em locais onde os automóveis circulam). Mas ainda bem que há pessoas como o Pedro, referido no post (e felizmente há-as cada vez mais apesar da falta de condições, porque é necessário uma massa crítica para fazermos valer os nossos direitos). Percebo perfeitamente os argumentos dele porque também sou utilizadora de bicicleta e não são as colinas de Lisboa que me impedem. Aliás, essa tem sido uma desculpa típica de alguns decisores políticos que tento rebater (ver http://viveraltadelisboa.blogspot.com/2005/11/bicicletas.html).–>


    5. […] quase dois anos, escrevi um dos primeiros posts sobre a utilização das bicicletas – Em vez de pedalar, a bicicleta à mão levar… – e as situações ridículas que algumas mentes mesquinhas […]



    Deixe uma Resposta

    Please log in using one of these methods to post your comment:

    Logótipo da WordPress.com

    Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

    Imagem do Twitter

    Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

    Facebook photo

    Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

    Google+ photo

    Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

    Connecting to %s

    %d bloggers like this: